7 madeirenses não embarcam por não terem garantia num voo Lisboa-Madeira

Trinta portugueses partiram hoje do Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía, a norte de Caracas, num voo da companhia aérea Plus Ultra, elevando para 48 o número de lusos repatriados da Venezuela, desde finais de março. Um desses...

7 madeirenses não embarcam por não terem garantia num voo Lisboa-Madeira
Trinta portugueses partiram hoje do Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía, a norte de Caracas, num voo da companhia aérea Plus Ultra, elevando para 48 o número de lusos repatriados da Venezuela, desde finais de março. Um desses portugueses segue, depois, para a Madeira. Na Venezuela, há mais sete madeirenses que não conseguiram viagem. Fontes aeroportuárias e diplomáticas explicaram à agência Lusa que o voo foi organizado por Espanha para transportar cidadãos europeus, entre eles os portugueses, que tinham ficado retidos na Venezuela, devido à restrição de voos decorrente da pandemia do novo coronavírus. O avião, um Airbus A340-313 (A343) que chegou na noite de quarta-feira a Caracas, partiu de Maiquetía pelas 17:10 locais (22:10 em Lisboa) para Madrid, com mais de 300 pessoas a bordo. Uma vez em Madrid, os passageiros portugueses vão seguir viagem para Lisboa de autocarro, devendo cumprir uma quarentena. Em 26 de março, esta mesma companhia aérea realizou o primeiro voo organizado pela Espanha para transportar cidadãos europeus, no qual foram repatriados 18 cidadãos portugueses.