Azores Airlines perde gata de passageiro

Uma gata de seis anos desapareceu a 1 de agosto durante um voo de Lisboa para Ponta Delgada, operado pela Azores Airlines. Pedro Medeiras reservou passagens para as suas duas gatas na Azores Airlines e ao chegar a São Miguel, Açores, de onde...

Azores Airlines perde gata de passageiro
Uma gata de seis anos desapareceu a 1 de agosto durante um voo de Lisboa para Ponta Delgada, operado pela Azores Airlines. Pedro Medeiras reservou passagens para as suas duas gatas na Azores Airlines e ao chegar a São Miguel, Açores, de onde é natural, deparou-se com o gatil que transportava Ayhuasca vazio e com as portas abertas, noticiou o jornal Público.  Uma das gatas chegou sã e salva e a outra desapareceu. “Tentaram impingir-me que a gata tinha aberto a caixa, mas eu não acredito nisso, a minha gata não é o MacGyver”, afirmou Pedro Medeiros, nas redes sociais, onde relatou a experiência. Pedro Medeiros ameaçou, nos dias seguintes, entrar em greve de fome caso não lhe permitissem procurar Ayhuasca e conseguiu apurar que “ao chegar ao porão do avião uma das caixas estava vazia e fechada”. O passageiro seguiu até Lisboa, à procura do animal. Segundo o relato do mesmo, citado pelo já mencionado jornal,  foi preciso “muita insistência”, “muita pressão” e “telefonemas do PAN” para que a ANA - Aeroportos de Portugal autorizasse as buscas na zona reservada do aeroporto de Lisboa.   Pedro Medeiros fez questão de sublinhar ao ‘Correio dos Açores’ que os funcionários da SATA em Ponta Delgada “foram incansáveis na procura do animal e em procurar saber o que se passou. Soube que uma equipa de resgate de animais, que trabalha para a SATA, foi ao aeroporto de Lisboa para procurar o animal, mas não aparece. Posto isso, já fiz uma queixa crime na Policia de Segurança Pública, em Ponta Delgada. O gabinete de comunicação do grupo SATA (ao qual pertence a Azores Airlines) revelou anteriormente P3 que a companhia área está “muito preocupada”. “O nosso papel [da SATA] é acompanhar o proprietário e mover todos os esforços para que o animal apareça”, lê-se no mesmo comunicado. Sobre as causas do desaparecimento da gata, a companhia área açoriana recordou que “o serviço é prestado por um handling gate” e que o “acondicionamento de toda a carga é da responsabilidade de quem a entrega”. “Doravante, talvez seja necessário selar ainda melhor as caixas”, concluiu.