Banco de Portugal tinha poderes para afastar Ricardo Salgado um ano antes de o BES colapsar

O Banco de Portugal (BdP) podia ter substituído Ricardo Salgado como CEO do BES em 2013, pois detinha ferramentas legais para o fazer. A notícia é hoje avançada pelo ‘Público’, que apurou as conclusões presentes no relatório da Comissão de...

Banco de Portugal tinha poderes para afastar Ricardo Salgado um ano antes de o BES colapsar
O Banco de Portugal (BdP) podia ter substituído Ricardo Salgado como CEO do BES em 2013, pois detinha ferramentas legais para o fazer. A notícia é hoje avançada pelo ‘Público’, que apurou as conclusões presentes no relatório da Comissão de Auditoria Independente, chefiada pelo ex-vice-governador João Costa Pinto, encarregue pelo anterior governador Carlos Costa de avaliar a atuação do supervisor no caso GES/BES. O jornal apurou que o documento faz uma avaliação muito crítica da atuação do BdP no que respeita ao acompanhamento ao GES e ao BES, em particular nos anos que antecederam a queda do grupo, período em que Carlos Costa liderou a instituição de supervisão. Mas não aponta para uma falha grave na atuação da entidade. O relatório identificou uma série de falhas na supervisão, bem como explicações pouco convincentes para as decisões tomadas durante o processo de deterioração do grupo que culminou na sua resolução em agosto de 2014. Apesar de ter ficado pronto em abril, o documento continua a ser considerado matéria reservada, e nem o Parlamento conseguiu ainda ter acesso ao mesmo.