Covid-19 faz onze mortos no Lar da Misericórdia de Miranda do Douro

O número de mortes associadas à covid-19 no Lar da Misericórdia de Miranda do Douro, distrito de Bragança, subiu para 11 e todos os 61 utentes estão infetados pelo SARS-CoV-2, disse hoje à Lusa a provedora da instituição. "Temos a lamentar...

Covid-19 faz onze mortos no Lar da Misericórdia de Miranda do Douro
O número de mortes associadas à covid-19 no Lar da Misericórdia de Miranda do Douro, distrito de Bragança, subiu para 11 e todos os 61 utentes estão infetados pelo SARS-CoV-2, disse hoje à Lusa a provedora da instituição. "Temos a lamentar a morte de mais dois utentes. Uma mulher que morreu hoje de manhã na instituição que tinha 91 anos e um homem de 90 anos que se encontrava internado no Hospital de Bragança que morreu durante a noite", disse Jacinta Fernandes. De acordo com a provedora, atualmente há um utente internado numa unidade hospitalar de Bragança e dois tiveram alta. "Para já a situação está estável, não havendo agravamento dos sintomas entre os utentes institucionalizados", indicou. Na quarta-feira, morreram dois utentes infetados com o novo coronavírus, fazendo subir para nove o número de óbitos de idosos daquele lar. No domingo, foram registadas também duas mortes, de duas mulheres, uma com 67 anos e outra na casa dos 85 anos que estavam muito debilitadas. "Também na noite de domingo para segunda-feira registámos a morte de um homem de 92 anos, já bastante debilitado", indicou a provedora. Na segunda-feira de manhã, morreu um utente de 69 anos que estava hospitalizado em Bragança. A 06 de janeiro, registaram-se duas mortes de duas utentes com 67 e 92 anos que padeciam de outras doenças. A primeira morte associada à covid-19 naquele lar aconteceu a 04 de dezembro, tratando-se de um homem de 93 anos que também tinha outras patologias associadas. Dos últimos testes efetuados, a meio da semana passada, houve o registo do aumento de casos positivos entre os funcionários, cujo número subiu para 28 dos 42 pessoas que trabalham no lar. O primeiro caso positivo para o novo coronavírus naquela instituição foi registado em 23 de dezembro de 2020.