Covid-19: Itália regista 30 óbitos e 259 novos casos nas últimas 24 horas

As autoridades italianas confirmaram hoje 30 mortes associadas ao novo coronavírus e 259 novos casos de infeção nas últimas 24 horas, o que representou um ligeiro decréscimo face ao número de novos contágios registado na quinta-feira. Em termos...

Covid-19: Itália regista 30 óbitos e 259 novos casos nas últimas 24 horas
As autoridades italianas confirmaram hoje 30 mortes associadas ao novo coronavírus e 259 novos casos de infeção nas últimas 24 horas, o que representou um ligeiro decréscimo face ao número de novos contágios registado na quinta-feira. Em termos totais, e desde o início da crise da doença da covid-19 no país em 21 de fevereiro, Itália contabiliza 34.708 vítimas mortais. Com a identificação destes 259 novos contágios em relação a quinta-feira, o país totaliza, até à data, 239.961 pessoas que estão ou estiveram infetadas com o novo coronavírus desde fevereiro. Os casos de infeção ativos neste momento no país são 187.615, com uma diminuição de 665 doentes em comparação ao dia anterior. Uma grande maioria dos casos ativos são pessoas que estão isoladas em casa com sintomas ligeiros ou assintomáticas. A região da Lombardia (norte de Itália) continua a ser a zona mais afetada do país, acumulando 93.587 casos no número total de infetados e 11.640 mortes. Nas últimas 24 horas, esta região específica contabilizou 156 novas infeções e 16 óbitos associadas à doença covid-19. O conselheiro regional de saúde, Giulio Gallera, realçou, porém, que o número de pacientes hospitalizados na Lombardia verificou um decréscimo assinalável, menos 120 doentes em comparação a quinta-feira. No total, a região conta com 501 doentes de covid-19 internados em unidades hospitalares. As autoridades italianas informaram ainda que estão a acompanhar os mais recentes surtos identificados naquele país. O ministro da Saúde, Roberto Speranza, avisou o país, que está quase todo em fase de desconfinamento, que estes “pequenos surtos mostram que a batalha ainda não foi ganha”. Um dos maiores focos identificados é num complexo de edifícios de habitação social em Mondragone (sul), perto da cidade de Nápoles, onde 49 pessoas foram diagnosticadas com a doença covid-19, a maioria trabalhadores búlgaros. O local foi isolado pelo exército porque muitas das pessoas não estavam a cumprir o confinamento e continuavam a sair para a rua. Também foi identificado um foco de infeção num armazém de uma empresa de entrega de encomendas em Bolonha (norte), onde pelo menos 27 pessoas contraíram o novo coronavírus. Um dos países europeus mais afetados pela atual pandemia, a Itália iniciou, em maio, um plano faseado de desconfinamento da população e uma retoma gradual da atividade económica, após mais de dois meses de confinamento. Desde que o novo coronavírus foi detetado na China, em dezembro do ano passado, a pandemia da doença covid-19 já provocou quase 487 mil mortos e infetou mais de 9,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência France-Presse (AFP).