Covid-19: Reino Unido regista 155 mortes, aumento após fim de semana

O Reino Unido registou 155 mortes da doença covid-19 nas últimas 24 horas, um aumento relativamente à véspera, aumentando para 44.391 o total de óbitos durante a pandemia, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico. O número de casos de...

Covid-19: Reino Unido regista 155 mortes, aumento após fim de semana
O Reino Unido registou 155 mortes da doença covid-19 nas últimas 24 horas, um aumento relativamente à véspera, aumentando para 44.391 o total de óbitos durante a pandemia, anunciou hoje o Ministério da Saúde britânico. O número de casos de contágio desde o início da pandemia aumentou para 286.349, mais 581 do que na segunda-feira.  Na segunda-feira, o balanço diário tinha sido de 16 mortes e 352 novos infetados, mas estes valores sejam geralmente menores nos fins de semana e nas segundas-feiras devido a atrasos administrativos.  Os números incluem apenas as pessoas que foram sujeitas a teste e incluem as mortes nos hospitais, lares de idosos ou residências pessoais.  Hoje, vários responsáveis de grupos de casas de repouso criticaram o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, por sugerir que algumas não cumpriram adequadamente os procedimentos durante a pandemia de covid-19. "Descobrimos que muitos lares de idosos não seguiram os procedimentos da maneira que poderiam, mas estamos sempre a aprender”, afirmou na segunda-feira.  Para Mark Adams, presidente-executivo da organização Community Integrated Care, os comentários foram "desajeitados e covardes". Adams disse à BBC que se esta é realmente a opinião do primeiro-ministro, o país está a entrar numa "realidade alternativa onde o governo define as regras, nós seguimo-las e eles não gostam dos resultados e depois negam ter estabelecido as regras e culpam as pessoas que estavam a tentar fazer o melhor possível”. O instituto de estatísticas britânico ONS contabilizou quase 20.000 mortes de residentes em lares de idosos em Inglaterra e País de Gales devido ao coronavírus.  Muitos dos estabelecimentos queixam-se de que não tiveram acesso a equipamentos de proteção e diretrizes claras, principalmente nos estágios iniciais da pandemia.