Funchal aprova plano municipal de emergência

A Câmara Municipal do Funchal aprovou hoje, por unanimidade, a segunda revisão do Plano Municipal de Emergência e, ainda, a versão preliminar do Plano de Emergência Externo da Unidade Autónoma de Gás Natural dos Socorridos, que foi agora desenvolvido...

Funchal aprova plano municipal de emergência
A Câmara Municipal do Funchal aprovou hoje, por unanimidade, a segunda revisão do Plano Municipal de Emergência e, ainda, a versão preliminar do Plano de Emergência Externo da Unidade Autónoma de Gás Natural dos Socorridos, que foi agora desenvolvido no concelho pela primeira vez. Os planos em causa serão agora enviados para publicação em Diário da República, após a qual terá início o período de consulta pública. Entre as principais novidades, conta-se a introdução de orientações de resposta a cenários de pandemia. O presidente da Câmara Municipal do Funchal considerou, à margem desta que foi a primeira reunião de vereação no Funchal após o interregno de verão, tratarem-se de “dois documentos muito importantes para a realidade do concelho, em nome da segurança de pessoas e bens". "A Proteção Civil Municipal, que teve a equipa reforçada no ano passado com novos recursos humanos, desenvolveu aqui um excelente trabalho para o presente e futuro do Funchal, que esperamos possa também vir a ser complementado pelos cidadãos e empresas, enquanto decorrer a consulta pública", afirmou. O Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil do Funchal é um plano de âmbito geral, que foi elaborado para enfrentar a generalidade das situações de emergência decorrentes de um acidente grave ou catástrofe que se admitem para o âmbito territorial e administrativo do município. Este tem o intuito de organizar, orientar, facilitar, agilizar e uniformizar as ações necessárias à resposta, adotando medidas que atenuem os efeitos dos danos humanos e materiais das ocorrências. Miguel Silva Gouveia destacou o significado da aprovação deste plano, na semana em que o Funchal enfrentou a sua situação mais crítica do verão, com um incêndio na freguesia do Monte, e aproveitou para elogiar a ação de todas as forças envolvidas na resposta a esta ocorrência, reforçando que “este revisão do Plano Municipal de Emergência vai otimizar a colaboração das várias entidades intervenientes na resposta a estas situações, garantindo a mobilização mais rápida dos meios e recursos afetos ao plano e uma maior eficácia e eficiência na execução das ordens e procedimentos previamente definidos.” O Plano de Emergência Externo da Unidade Autónoma de Gás Natural dos Socorridos complementa o Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil do Funchal, aplicando-se, em particular, à área envolvente das instalações em causa. Miguel Silva Gouveia enaltece, por fim, o facto de “este plano ser elaborado pela primeira vez no concelho, numa etapa muito importante no sentido de estarmos capacitados para responder, no futuro, a qualquer tipo de eventualidades na infraestrutura em causa, garantindo, acima de tudo, a proteção da população.”