Homicídio no Funchal: Disparados três tiros, dois na vítima mortal

Um assassínio calculado, concretizado de forma fria. Apurou o JM que o homicida entrou no restaurante Sirius, no Funchal, de arma de fogo em riste, disparou sobre a vítima mortal, virou-se a seguir para outro homem na mesa e baleou-o na perna...

Homicídio no Funchal: Disparados três tiros, dois na vítima mortal
Um assassínio calculado, concretizado de forma fria. Apurou o JM que o homicida entrou no restaurante Sirius, no Funchal, de arma de fogo em riste, disparou sobre a vítima mortal, virou-se a seguir para outro homem na mesa e baleou-o na perna enquanto este protegia a filha, e ainda atirou mais uma vez na direção do seu primeiro alvo, saindo depois calmamente do espaço. Este é o tema que faz hoje a manchete do seu JM. Ainda sobre o mesmo assunto, o assassino foi capturado de madrugada junto ao Banco de Portugal. O proprietário do restaurante transtornado: “Ele morreu a olhar para mim”. Crimes graves aumentam na Madeira. Leia também sobre a mulher que escapa de assalto com arma branca na Rua da Conceição. Funchal distinguido como ‘Autarquia + Familiarmente Responsável’. Na Cultura, o Baltazar Dias ganha vida em cinco curtas metragens. Na Educação, saiba que 80% das turmas madeirenses têm menos de 23 alunos. Pedro Nunes anuncia: “Finalmente positivo”. A Madeira regista 12 novos casos, todos de transmissão local. Leia mais sobre estes e outros assuntos na edição impressa deste domingo do seu JM.