Moscas suscitam incómodo no Porto Santo e novas aves surpreendem

A presença de uma espécie de mosca, grande e preta, para além de moscas-varejeiras, tem suscitado algum incómodo no Porto Santo. Há populares que dizem que vieram do norte de África e há quem relacione as moscas com a recente morte de coelhos...

Moscas suscitam incómodo no Porto Santo e novas aves surpreendem
A presença de uma espécie de mosca, grande e preta, para além de moscas-varejeiras, tem suscitado algum incómodo no Porto Santo. Há populares que dizem que vieram do norte de África e há quem relacione as moscas com a recente morte de coelhos afetados pela doença hemorrágica viral. Contactado pelo JM, o Instittuto das Florestas e da Conservação da Natureza diz que em nenhuma das recolhas efetuadas através das armadilhas da Fitossanidade Florestal que estão distribuídas nos vários pontos da ilha foi identificada pelo departamento de entomologia do laboratório agrícola regional, a presença de moscas com as referidas característcas (pretas e grandes). "Para melhor aferir esta presença será necessário a colheita de exemplares ou no mínimo a fotografia dos insetos em causa. Sem estes procedimentos, dificilmente se poderá afirmar, com precisão, que exista naquela ilha moscas diferentes das habituai", sublinha o IFCN. Quanto à relação das moscas com os coelhos mortos, a mesma entidade reconhece que "em sentido lato a experiência mostra que, se há um corpo em putrefação, a probabilidade de haver um aglomerado de moscas na vizinhança desse corpo será grande, independentemente da espécie em causa". "No caso dos coelhos, afetados pela doença hemorrágica viral, sempre que têm sido encontrados cadáveres o IFCN, em colaboração com a população locar, tem procedido à recolha ativa dos animais mortos, enterrando-os e desinfetando esses locais com cal viva", acrescenta a mesma fonte. Quanto a migrações de outras espécies de animais, nomeadamente aves, o IFCN confirma que "no âmbito das suas competências de fiscalização, monitorização e prospeção na área geográfica daquela ilha, aquando das rondas diárias tem verificado tal situação sendo avistadas várias aves pouco comuns ou até agora nunca avistadas". "A comunidade de ornitólogos do Porto Santo está também ao corrente da situação", conclui o IFCN..