“O Centro Português é a fronteira de Portugal com a Venezuela”

O périplo de Paulo Cafôfo pela Venezuela teve hoje por epicentro o Centro Português, em Caracas, e para o governante, este clube “é a fronteira de Portugal com a Venezuela”.  Dirigindo aos presentes, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas...

“O Centro Português é a fronteira de Portugal com a Venezuela”
O périplo de Paulo Cafôfo pela Venezuela teve hoje por epicentro o Centro Português, em Caracas, e para o governante, este clube “é a fronteira de Portugal com a Venezuela”.  Dirigindo aos presentes, o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas qualificou o CP como “um grande símbolo da nossa fraternidade luso-venezuelana”, tendo ainda confessado que se sente “em casa neste país” que alberga uma importante comunidade portuguesa.  “É uma comunidade muito dinâmica, para além da enorme comunidade madeirense”, acrescentou, observando que “a atmosfera dos portugueses e venezuelanos é muito harmoniosa”. Paulo Cafôfo recordou depois que a sua primeira viagem fora da Europa no cargo que agora desempenha é precisamente a Venezuela, e fez votos para os objetivos das visitas, que visam dar a “conhecer os traços das nossas comunidades portuguesas no mundo”, possam “encontrar a participação dos portugueses em todas as áreas da sociedade”. Em jeito de balanço à visita iniciada na passada quinta-feira, o governante disse ter encontrado “empresários que contribuíram para o desenvolvimento do país” e com “espírito de solidariedade”.   “Temos os olhos postos na Venezuela e temos mãos para os portugueses e luso-descendentes”, disse depois, lembrando que o Governo português quer continuar a apoiar os “cidadãos mais necessitados”.