PCP quer 35 horas de trabalho nas empresas de capital público

O PCP leva ao plenário uma proposta para a redução para 35 horas de trabalho nas empresas públicas. Na sua alocução, Ricardo Lume fala em discrepância de horários em empresas de capitais públicos, citando mesmo a ARM e os Horários do Funchal....

PCP quer 35 horas de trabalho nas empresas de capital público
O PCP leva ao plenário uma proposta para a redução para 35 horas de trabalho nas empresas públicas. Na sua alocução, Ricardo Lume fala em discrepância de horários em empresas de capitais públicos, citando mesmo a ARM e os Horários do Funchal. O deputado do PCP considera que “os avanços tecnológicos e científicos não têm se refletido em mais conquistas sociais e qualidade de vida dos trabalhadores". Ricardo Lume diz que hoje é possível “melhor qualidade e mais eficácia em menos tempo” detetando que, “infelizmente os avanços tecnológicos e científicos estão apenas ao serviço do capital e não dos trabalhadores”. Lume fala em diferenciação de horários nas empresas de capital público ou misto e reivindica “justiça social independentemente das condições dos contratos.