“Precisamos da solidariedade europeia e disponibilidade do Estado”, Jaime Filipe Ramos

O secretário regional de Economia, Rui Barreto, começou ontem a ouvir os partidos políticos com assento na Assembleia Legislativa da Madeira, recolhendo contributos para o Plano de Recuperação da Economia da Região, que vem a ser elaborado...

“Precisamos da solidariedade europeia e disponibilidade do Estado”, Jaime Filipe Ramos
O secretário regional de Economia, Rui Barreto, começou ontem a ouvir os partidos políticos com assento na Assembleia Legislativa da Madeira, recolhendo contributos para o Plano de Recuperação da Economia da Região, que vem a ser elaborado sob a alçada do Conselho Consultivo de Economia (CCE). Nesse âmbito, o PSD foi o primeiro a ‘subir’ à Vila Passos, onde Rui Barreto, acompanhado pela conselheira executiva do CCE, Cristina Pedra, auscultou os sociais democratas, encabeçados neste encontro por Jaime Filipe Ramos. No final, o líder parlamentar do PSD relevou que “viemos entregar um documento de 13 páginas, no qual versamos a realidade atual, que é uma realidade muito difícil, complicada do ponto de vista económico e social. Mas, sobretudo do ponto de vista económico, nos efeitos que tem hoje ao nível do desemprego e das falências”. Para mitigar este problema, Jaime Filipe Ramos é de opinião que “o Governo Regional terá que alterar algumas das suas prioridades, redefinir algumas das suas ações e medidas, de forma a que haja respostas mais ágeis, uma vez que é necessário a sobrevivência do emprego na Região”. Importa, pois, “manter as medidas de apoio, garantir linhas de tesouraria para as empresas, mas, a par disso tudo, é preciso haver mais medidas na área da economia, turismo, administração pública, alterações climáticas”. Disse saber que “o Governo está atento e a tomar essas medidas, mas para isso necessita de mais ferramentas, com a solidariedade da União Europeia, mas também a disponibilidade do Estado Português”. E, de acordo com as suas palavras, “até hoje o Estado não foi capaz de transmitir à Região a sua disponibilidade”. Já Rui Barreto realçou que “queremos receber os contributos de todas as entidades, para que isso depois nos sirva para o plano estratégico para o quadro de 21-27 e servir como guião e de auxílio ao desenvolvimento da Região Autónoma da Madeira”. Amanhã, às 10h00, será recebido o JPP e às 11h00 horas o CDS. As audições dos partidos políticos serão concluídas a 8 de setembro, com o deputado único do PCP, Ricardo Lume (10h00 horas) e com uma delegação do Grupo Parlamentar do PS (11h00). Anteriormente, o secretário de Economia e o CCE já ouviram também o setor empresarial, através de reuniões setoriais, muito participadas, que foram concluídas no passado dia 18 de agosto, no Porto Santo, as associações empresariais e ouvirá, ainda, as uniões sindicais, tendo os convites sido já endereçados.