PS defende condições de trabalho e salariais aos jornalistas para garantir informação independente

O Partido Socialista-Madeira defendeu hoje que é necessário dar aos jornalistas as condições de trabalho e salariais adequadas, de modo a garantir a melhoria da situação destes profissionais e assegurar a independência da informação. A posição...

PS defende condições de trabalho e salariais aos jornalistas para garantir informação independente
O Partido Socialista-Madeira defendeu hoje que é necessário dar aos jornalistas as condições de trabalho e salariais adequadas, de modo a garantir a melhoria da situação destes profissionais e assegurar a independência da informação. A posição foi assumida esta tarde, após uma reunião da Tendência Sindical do PS-M com a delegação regional do Sindicato dos Jornalistas. Um encontro durante o qual os deputados Sofia Canha (responsável por esta estrutura do partido), Jacinto Serrão e Mafalda Gonçalves puderam inteirar-se das dificuldades que a classe jornalística atravessa atualmente. "Aqui, a matéria central é o interesse público da informação. Só garantindo essa independência, tanto das redações como dos jornalistas, é que se pode ter um bom jornalismo, um jornalismo de qualidade e independente", vincou Sofia Canha. A parlamentar referiu que "não é com precariedade e com menos condições que se pode exigir aos jornalistas cada vez mais trabalho", frisando que "é preciso garantir que esta classe tem as condições necessárias para fazer um trabalho com dignidade e com fiabilidade, para que as pessoas que recebem informação possam ter a garantia que a mesma é, de facto, fidedigna, fiável e correta". A deputada socialista deu conta da preocupação manifestada pelo presidente do Sindicato dos Jornalistas da Madeira, António Macedo Ferreira, que tem a ver com a capacidade das redações para produzirem bom jornalismo e com independência. Neste campo, foi apontada a necessidade de os apoios do MEDIARAM serem consignados "para as redações e para os jornalistas, que são quem produz a informação, para garantir essa independência que o jornalismo deve ter". Isto, ao invés de se continuar a verificar o que acontece atualmente, em que as empresas são financiadas e podem canalizar esse apoio para outras atividades que não objetivamente a componente da produção informativa.