PS quer reforçar a sua presença no poder local e afirmar uma alternativa de mudança na Região

Afirmar uma alternativa de mudança na Região e reforçar a sua presença no poder local são os objetivos próximos do Partido Socialista-Madeira. Estes desideratos foram apontados hoje pelo presidente do PS-M, após a primeira reunião da Comissão...

PS quer reforçar a sua presença no poder local e afirmar uma alternativa de mudança na Região
Afirmar uma alternativa de mudança na Região e reforçar a sua presença no poder local são os objetivos próximos do Partido Socialista-Madeira. Estes desideratos foram apontados hoje pelo presidente do PS-M, após a primeira reunião da Comissão Regional do partido na nova liderança. Paulo Cafôfo referiu que o partido está já a preparar o futuro, querendo, para isso, que o PS esteja mobilizado. «A coesão e a organização são fundamentais para dar força ao PS e afirmar, já nas eleições autárquicas, aquela que é a influência política e social deste partido, para podermos concretizar o nosso objetivo, que é afirmar e vingar uma alternativa de mudança aqui na Região», sustentou. Manter as câmaras municipais e juntas de freguesia é um objetivo claro, mas o líder socialista tem mais ambição. «Quero reforçar no poder local aquela que é a presença do PS e, portanto, vamos apresentar projetos que são ambiciosos e arrojados, com pessoas credíveis, para que as pessoas se possam rever e dar-nos a confiança. Quero reforçar também o número de autarcas eleitos pelo PS. É nisso que estamos todos empenhados», vincou. Paulo Cafôfo apontou também o objetivo de «vencer a crise das nossas vidas». Tal como afirmou, «o PS é, claramente, a alternativa, porque o Governo Regional do PSD e do CDS não tem dado as respostas que os madeirenses necessitam para ultrapassarmos e darmos a volta a esta situação». De acordo com o dirigente, há dois caminhos diferentes: Por um lado, o caminho do passado, do Governo Regional e do PSD, marcado por clientelismos, por falta de soluções e mais do mesmo, e, por outro lado, um caminho de futuro, do PS, com inovação, com respostas certas e mais transparência e igualdade, porque «precisamos que cada madeirense e porto-santense tenha uma oportunidade». Cafôfo defendeu uma melhor distribuição da riqueza, com qualidade de vida para todos e não só para alguns, criticando as 468 nomeações feitas pelo Governo Regional do PSD e CDS, que correspondem a um custo de 21 milhões de euros por ano. Na reunião de hoje, foram eleitos o secretário-geral, o secretariado regional, a Comissão Política e a mesa da Comissão Regional. «Todos estes órgãos foram eleitos por maioria e este é um sinal de confiança, de entusiasmo para o rumo que eu quero imprimir no PS», referiu o presidente, destacando também que o partido está a dar o exemplo no que diz respeito à participação de mulheres, já que as mesmas representam 45% dos órgãos eleitos. De referir ainda que foram também apresentadas e votadas as 10 moções setoriais que transitaram do Congresso do passado fim-de-semana. Concretamente, estiveram em discussão as seguintes moções, apresentadas pelos seguintes subscritores: "O Futuro do Turismo na RAM – Desafios e oportunidades", Sérgio Gonçalves; "Pacto Educativo – Autarquias Locais", Rui Caetano; "Por uma Cultura Inclusiva: a Importância do Poder Local", Cátia Pestana; "Mais Igualdade, Melhor Democracia", Elisa Seixas;  " Gabinete de Apoio aos Autarcas Socialistas e Munícipes", Bruno Martins; "Fundos Comunitários: Chaves Mestras para uma Retoma Sustentada", Nelson Abreu; " Autárquicas 2021 – Rigor, Seriedade e Competência", Duarte Ferreira; " Turismo no Porto Santo – Contributo para uma Visão Integrada", Miguel Brito; " Um Arquipélago Global", José Curado; " Madeira 2030: Uma Nova de Geração de Polí[email protected]", Pedro Calaça Vieira.