PS quer salvaguardar qualidade do sono dos estudantes madeirenses

O Grupo Parlamentar do PS-Madeira quer avaliar a qualidade do sono dos estudantes da Região Autónoma da Madeira, de forma a poder prevenir e agir para assegurar o correto bem-estar psicológico da população estudantil. Nesse âmbito, o PS apresenta...

PS quer salvaguardar qualidade do sono dos estudantes madeirenses
O Grupo Parlamentar do PS-Madeira quer avaliar a qualidade do sono dos estudantes da Região Autónoma da Madeira, de forma a poder prevenir e agir para assegurar o correto bem-estar psicológico da população estudantil. Nesse âmbito, o PS apresenta na Assembleia Legislativa Regional uma proposta para a realização de um estudo científico local, por forma a assegurar conhecimento fidedigno para abordar a matéria do sono, que tanto impacto assume no crescimento dos nossos jovens e nos processos de aprendizagem. Para o proponente do projeto de resolução, o deputado Rui Caetano, as consequências de um sono irregular "são conhecidas e de gravidade relevante, não apenas ao nível do rendimento escolar, da concentração, ou do exercício da memória, mas também no âmbito da sua saúde física, relacionada com a postura errada do corpo, e mental." A proposta assume maior pertinência quando a preocupação com a saúde mental da população estudantil tem estado em foco, resultado da pandemia de Covid-19 que afetou quotidianos e relações, com impactos particularmente relevantes em franjas da população mais suscetíveis como os jovens. O deputado Rui Caetano sublinha a "instabilidade emocional, a depressão, a ansiedade, os ataques de pânico e os estados de humor desequilibrados" que resultam do sono irregular, pelo que se impõe uma estratégia para a salvaguardada a saúde mental dos jovens, o seu futuro e as suas capacidades. Nessa perspetiva, é prudente que antes de tomar decisões sobre uma matéria tão delicada, se faça o retrato fiel do problema de forma científica, e se avaliem soluções adequadas. As alterações de comportamentos da população estudantil têm sido alvo da preocupação do corpo docente das escolas que detetam, no seu dia-a-dia casos de sonolência e apatia com impactos na qualidade da aprendizagem. O PS entende que a complexidade da situação exige uma intervenção bem pensada, estruturada e contínua. Uma "intervenção que se tornará mais eficaz se conhecermos a verdadeira realidade da situação, com dados concretos sobre os fatores que influenciam o sono, os ciclos de vigília, as rotinas, os estilos de vida, entre outros, estruturados, estudados e avaliados cientificamente", conclui Rui Caetano.