PSD/Caniço oferece máscaras a pessoas carenciadas

Alguns militantes do PSD/Caniço anunciaram hoje ter aproveitado o seu período de confinamento "para pensar nos que mais precisam" e elaboraram, de acordo com as normas em vigor, cerca de meio milhar de máscaras de proteção, reutilizáveis, que...

PSD/Caniço oferece máscaras a pessoas carenciadas
Alguns militantes do PSD/Caniço anunciaram hoje ter aproveitado o seu período de confinamento "para pensar nos que mais precisam" e elaboraram, de acordo com as normas em vigor, cerca de meio milhar de máscaras de proteção, reutilizáveis, que estão a ser distribuídas na freguesia, esta semana, especialmente junto das pessoas mais idosas e carenciadas. De acordo com o presidente da comissão política, Humberto Rodrigues, "este é um exemplo de que, neste combate contra a pandemia da COVID-19, todos temos e devemos assumir o nosso papel, enquanto cidadãos, tanto individual como coletivamente, para reforçar a nossa proteção e a dos outros, evitando a propagação do vírus na Região”. Estas máscaras, por forma a evitar aglomerados e deslocações, serão entregues, na sua maioria e conforme explica, “a uma instituição de solidariedade social que, por sua vez, as fará chegar aos necessitados”. "Este é um contributo que assume ainda maior relevância numa altura em que se prepara a reabertura das atividades económicas – que será sempre acompanhada de medidas rígidas de contenção – e em que o uso destas máscaras, para além de recomendado a toda a população, passa a ser obrigatório nos transportes públicos, comércio local e centros comerciais”, reforça o responsável pelo PSD/Caniço, lembrando que o distanciamento social, o confinamento e o uso de máscaras sociais de proteção mantêm-se como prioridades no controlo desta pandemia. Reconhecendo “a coragem e a antecipação do Governo Regional nas medidas que foram tomadas para combater a pandemia” – e que possibilitaram a redução dos casos positivos e a evolução que temos hoje – o social-democrata enaltece, igualmente, “o sentido de responsabilidade, o civismo e a resiliência com que a população tem seguido as recomendações”, aconselhando a que estas boas práticas se mantenham e sustentem “o tão desejado regresso à normalidade”. Humberto Rodrigues que apela, por fim, a que todos cumpram, tal como até agora: “estamos perante uma pandemia para a qual ainda não temos cura e assim é fundamental que continuemos a cumprir com a recomendações que nos chegam e que continuemos a ser agentes de prevenção e proteção, em prol da nossa freguesia, do concelho de Santa Cruz e da nossa Região”.