Sindicato dos Motoristas denunciam 'pressões' na HF por causa da greve

O Sindicato Nacional dos Motoristas diz que a empresa Horários do Funchal anda perguntar aos motoristas se vão fazer greve na próxima quinta-feira, dia 30 de julho. O sindicato afirma que "nenhum trabalhador é obrigado a responder a uma pergunta...

Sindicato dos Motoristas denunciam 'pressões' na HF por causa da greve
O Sindicato Nacional dos Motoristas diz que a empresa Horários do Funchal anda perguntar aos motoristas se vão fazer greve na próxima quinta-feira, dia 30 de julho. O sindicato afirma que "nenhum trabalhador é obrigado a responder a uma pergunta destas" e que "a empresa não tem nada a haver se o trabalhador adere ou não à greve marcada". Além disso, refere o SNM no comunicado enviado às redações, "caso a Empresa se 'lembre' de colocar outros trabalhadores a fazerem o trabalho de quem se encontra de greve", que "denunciará de imediato esse facto às autoridades competentes". O sindicato diz ainda que "irá passar a noite junto da entrada da estação" e pede desde já a todos os motoristas para estarem presentes. "O SNM convida todos os Motoristas que recolham à estação no dia 29 para ficarem de imediato junto dos restantes colegas e pede aos restantes que se desloquem para a estação", acrescenta. Aquela estrutura sindical informa ainda todos os motoristas da Horários do Funchal que "não existem serviços mínimos para a greve decretada para o próximo dia 30 de Julho, para além daquele que se encontra previsto no Aviso-prévio de Greve que é o serviço de PMR (Pessoas de Mobilidade reduzida)". Diz também que o despacho proferido pelas secretarias regionais de Inclusão Social e Cidadania e da Economia "são ilegais por violação do disposto na alínea b) do nº 4 do Artº 538º do Código do Trabalho, e como tal são nulos e devem de ser ignorados por todos os motoristas". "Estes senhores andam tão distraídos ou andam tão obcecados com o SNM, que até tentam determinar serviços mínimos para trabalhadores que não se encontram em greve", acusa.